Quando o assunto é investimento, muito se fala sobre as possibilidades existentes para pessoa física. Afinal, essa modalidade conta com ampla variedade de aplicações: CDB, CDI, LCA, LCI, fundos de renda fixa, fundos mistos e ouro são algumas delas, realizadas por bancos ou corretoras financeiras.

Contudo, muitos não sabem que pessoa jurídica também pode realizar investimentos. No mercado, existem várias opções indicadas para que a empresa consiga rentabilidade com o capital em caixa, visando o retorno em médio e longo prazo.

Abaixo, detalhamos quais são os investimentos para pessoa jurídica, o que você precisa fazer para realizá-los e dicas sobre como escolher o melhor para você.

Quais são os investimentos para empresas?

Normalmente, o empreendimento utiliza o capital na operação desse tipo de investimento. Porém, há organizações que podem manter uma reserva de emergência ou para futuras expansões parada na conta corrente, apesar dessa opção não gerar rentabilidade.

Os principais investimentos para pessoa jurídica são:
• Ações
• Fundos de Investimentos
• Certificado de Deposito Bancário (CDB)
• Letra de Crédito Agrícola (LCA)
• Letra de Crédito Imobiliário (LCI)

Qual desses tipos seria o melhor? Não existe resposta certa para essa questão, já que a melhor opção se ajusta a necessidade da sua companhia. É importante manter o planejamento estratégico pensado para esses investimentos, considerando os riscos, o tempo de duração e a margem de lucro.

Documentação necessária

Fazer investimentos como empresa requer um pouco mais de burocracia em relação à pessoa física. Para cadastrar o seu empreendimento em uma corretora, certos documentos são exigidos:
• Balanço Patrimonial
• Demonstração do Resultado do Exercício (DRE)
• Declaração de faturamento dos últimos 12 meses
• Se necessário, última alteração contratual

Caso o empreendimento não tenha os 12 meses de atuação exigidos, será preciso que o contador redija uma nota simples esclarecendo a jovialidade da empresa e detalhando o faturamento do tempo em exercício.

É necessário atenção ao objeto social da empresa. Investir em ações e conseguir lucros significativos pode caracterizar lucro por meio de atividade que foge ao objeto social da empresa, motivando sanções em uma possível fiscalização. Portanto, a recomendação é que se opte por investimentos de baixo risco e rendimento razoável, que não sejam caracterizados como atividade especulativa.

Quais são as tributações dos investimentos de empresas?

Os investimentos de pessoa jurídica também são tributados, que variam conforme o tipo escolhido. Por exemplo, investimentos em ações possuem uma alíquota de Imposto de Renda de 15%, com exceção para transações de Day Trade, na qual a alíquota sobe para 20%.

Os fundos de investimento sofrem incidência de IR e IOF, sendo que o valor depende do fundo escolhido e o prazo para resgate. O mesmo se aplica aos investimentos do CDB. Nele, a alíquota do IR é de 22,5% para investimentos com menos de 180 dias de resgate. Para investimentos com resgate entre 181 e 365 dias, a alíquota cai para 20%. Entre 365 e 720 dias, ela é de 17,5%, e para investimentos com resgate superior à 720 dias, o imposto de rende é de 15%.

Conte com a Contabilidade Souza!
Se você precisa de auxílio para dar os primeiros passos como empreendedor e investidor, conte com a Contabilidade Souza. Temos profissionais capazes de ajudá-lo nessa questão, garantindo a prosperidade do seu empreendimento.

Acesse https://contabilidadesouza.com/contato/ e saiba como podemos ajudá-lo.