Quando se fala em criptoativos, muitas pessoas pensam, imediatamente, na Bitcoin. A fama é justificada, uma vez que a criptomoeda surgiu em 2008 e é o exemplo mais popular da categoria, sendo utilizada por pessoas e empresas de diversos países.

No entanto, os criptoativos não se resumem ao Bitcoin. Desde que o mercado ganhou força e atraiu novos interessados, outras criptomoedas ganharam reconhecimento e valor internacional. Para se ter uma ideia, o site Investing.com lista mais de 4,7 mil modelos, que têm o seu preço alterado todos os dias.

Na postagem de hoje, iremos abordar outras criptomoedas que merecem a sua atenção e se mostram como opções mais confiáveis de investimento.

Moss Earth

As criptomoedas são criticadas devido a liberação de carbono que acontece durante seu processo de mineração. Nesse contexto, a Moss Earth é uma alternativa interessante. Seu objetivo é justamente mitigar as emissões de gás carbônico, principal causador do efeito estufa. Ao comprar o MCO2, o usuário compensa a emissão em uma tonelada.

Essa opção conta com certificado digital, já que suas transações são registradas na blockchain Ethereum. O MCO2 é gerado por projetos de conservação que evitam a emissão do gás carbônico, colaborando para a sua neutralização. Dessa forma, o criptoativo é uma alternativa indicada para empresas que estão comprometidas a diminuir a pegada de carbono, já que evita que novas terras sejam desmatadas.

Uniswap

Para quem procura mais anonimato no mercado de criptoativos, a Uniswap é uma boa opção. Trata-se de uma corretora de criptomoedas descentralizada (HEX) que defende o “DeFi”, ou seja, que as finanças em geral sejam descentralizadas e não dependam de bancos, corretoras ou agentes tradicionais.

A criptomoeda deles é a UNI. A iniciativa já atraiu vários interessados no mercado, sendo que no último ano, chegou a ultrapassar o valor diário transacionado pela Coinbase, uma das maiores corretoras centralizadas do mundo.

Polkadot

Conhecida como DOT, a criptomoeda da Polkadot é mais uma que despertou o interesse das redes recentemente. Trata-se de um blockchain que concentra diversas blockchains dentro de si, sob a premissa de realizar transações mais rapidamente e com taxas mais atrativas. A iniciativa foi criada por um dos co-fundadores do Ethereum, Gavin Wood.

Aave

Outro exemplo de criptoativo descentralizado é a Aave, um projeto que é focado em empréstimos usando tokens via blockchain, sem o intermédio de instituições financeiras. O foco em empréstimos é um diferencial, já que a Aave funciona utilizando contratos inteligentes na Ethereum, o que garante segurança e agilidade nas operações.

A iniciativa tem, de um lado, investidores que possuem criptoativos e que emprestam para outras pessoas, ganhando com os juros da operação. Por outro lado, quem solicita usa uma rede que não oferece nenhum tipo de burocracia e sem precisar ativos como garantia.

Dogecoin

Ela foi criada a partir de uma piada do meme “Doge”, ilustrado por um cachorro da raça Shiba Inu. Mas ganhou repercussão mundial quando o bilionário Elon Musk, CEO da Tesla, comentou sobre ela, o que a tornou um criptoativo mais sério, sendo bastante utilizada para recompensar criadores de conteúdo no Twitter e Twitch.

Não há limites para o número de Dogecoins criados e sua capitalização de mercado já ultrapassou US$ 7 bilhões em 2021.

Conte com a Contabilidade Souza
Se você precisa de auxílio para entender o universo e começar a investir em criptoativos, conte com a Contabilidade Souza! Temos profissionais capazes de ajudá-lo nessa questão para que você saiba tudo o que precisa para investir com segurança.
Acesse https://contabilidadesouza.com/contato/ e saiba como podemos ajudá-lo.