Se você tem planos para abrir a sua própria empresa, saiba que ter uma boa ideia para um produto ou serviço não é tudo. Para que o seu negócio tenha chances de crescer com uma boa saúde financeira, é necessário planejamento, que leve em conta os detalhes da administração do empreendimento.

Um deles é o cálculo envolvendo o investimento inicial. É a partir dele que você poderá dar os primeiros passos da sua operação, adquirindo matéria-prima e produtos, contratando funcionários, encontrando um espaço adequado para funcionar e contratando eventuais serviços necessários, como o da entrega de mercadorias, entre outros investimentos.

De uma maneira geral, esses valores são os custos para abrir uma empresa, que ainda incluem as despesas com taxas e honorários contábeis. Mas você sabe como calculá-lo corretamente? Entenda como fazer isso.

Plano de negócios bem estruturado

Para poder determinar o investimento inicial do seu empreendimento, é preciso elaborar um plano de negócios, feito com máxima cautela. Ao listar os itens necessários para os diferentes setores da sua empresa, ficará claro o que irá precisar para que sua operação funcione.

A partir do plano de negócios, o gestor saberá como, onde e quanto investir em cada setor do seu negócio, assim como nas contratações. Para conseguir cálculos mais assertivos, considere tudo o que é preciso para operar sem gargalos: número de funcionários de cada setor, equipamentos, espaço de trabalho, valor dos salários e outros encargos, gastos envolvendo a compra de matéria-prima, custos envolvendo transporte, energia e água.

Para isso, você conta com dois cálculos em que é possível dividir gastos: o investimento fixo, relacionado às despesas que sua empresa precisa para funcionar e que são sobre estrutura física, como decoração, maquinário, móveis, veículos, itens e outros bens para que sua empresa saia do papel.

Já o chamado investimento pré-operacional é destinado à abertura e legalização da empresa, treinamento de funcionários e divulgação do seu negócio com ações de marketing.

Capital de Giro e Financeiro

Outros conceitos que são importantes de serem dominados são o de capital financeiro e o de giro. O primeiro é referente aos recursos necessários para que seu empreendimento possa ter êxito. Caso você não tenha o necessário, é possível buscar investidores ou recorrer aos empréstimos de instituições bancárias. Eles irão avaliar o potencial de crescimento do negócio para liberar a linha de crédito, desde que tenha um plano de negócios que mostre como será feito o pagamento.

Já o capital de giro é o montante necessário para que sua empresa opere, englobando contas fixas e variáveis como compra de materiais, salários e estoque. Também é indicado que o capital de giro comporte uma reserva para eventuais emergências. Nos primeiros meses de operação, o capital de giro deve ser o suficiente para que sua companhia funcione até que o valor de entrada em caixa comece a pagar essas despesas essenciais.

Conte com a Contabilidade Souza

Se você precisa de auxílio na abertura e administração da sua empresa, conte com a Contabilidade Souza! Temos profissionais capazes de ajudá-lo nessa questão para impedir problemas e gastos desnecessários na sua administração.

Acesse https://contabilidadesouza.com/contato/ e saiba como podemos ajudá-lo.